| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Poços Consciente
Desde: 18/11/2016      Publicadas: 50      Atualização: 26/04/2017

Capa |  Informações Gerais  |  Coleta Seletiva  |  Educação Ambiental  |  Entretenimentos  |  Escolas  |  Espiritualidade  |  Meio Ambiente  |  Mudanças Climáticas  |  Parceiros  |  Política social


 Educação Ambiental
  16/03/2017
  0 comentário(s)


Projeto Pedaladas- Consciência ambiental é um dos focos de projeto
O juiz José Henrique Mallmann traz em seus projetos a preocupação ambiental
Projeto Pedaladas-  Consciência ambiental é um dos focos de projeto

José Henrique Mallmann é juiz da 2o Vara Criminal e da Infância e Juventude em Poços. Desde 2012 trabalha com projetos sociais que ligam educação ambiental, humanização e conscientização. Em Santa Rita do Sapucaí- MG viu o projeto das pedalas surtir efeito entre os presos, em Poços pode adaptar a ideia para as escolas do município.

O projeto das pedaladas na escola Municipal Sérgio de Freitas Pacheco, localizada no bairro Vila Togni, completou um ano neste mês de março e começa a ser expandido a outras escolas da cidade. Depois do resultado positivo conseguido com a experiência nos presídios, Mallmann consegue ver os bons resultados do projeto proposta para as escolas.

 Diferente do projeto realizado com os presos em Santa Rita do Sapucaí- MG, nas escolas o objetivo é criar uma consciência ecológica para que os alunos valorizem mais a questão do uso da energia. “Quando produzimos, automaticamente nos tornamos um consumidor mais consciente”, ressalta José Henrique Mallmann.

Outra proposta é que a escola também saia do ambiente fechado e vá ao encontro da comunidade levando também segurança pública para o local. A energia gerada pelas crianças ilumina um ponto de ônibus próximo à escola.

 As crianças abraçaram o projeto e, além da conscientização ambiental, a prática de esportes também é reforçada. “Estou surpreso com os resultados do projeto, em todo o período a luz funcionou em 90% do tempo”, relata ele. No primeiro ponto instalado na escola Pacheco as luzes se acendem às 18h e apagam às 21h30, último horário que o ônibus passa pelo local. Um timer regula esse intervalo. Nas próximas semanas o projeto será instalado na escola Estadual Dr. Edmundo Gouvea Cardillo, neste ponto, a energia funcionará até a meia noite.

 Um dia de pedaladas resulta em três dias de energia, como na nova escola o horário é estendido, um dia de pedalada dará um dia e meio de energia. Uma novidade nesse novo ponto é a instalação de um ponto de energia para carregar celulares. “Essa adaptação vem de encontro com os anseios da sociedade que não fica mais desconectada. Será um ponto de cidadania, assim as pessoas percebem que coisas boas também estão acontecendo”, exalta Mallmann.

O diretor da escola Pacheco já quer aprimorar a ideia disponibilizando jornais e revistas nos pontos. “Diante dessas ações percebemos que o projeto está andando e melhorando cada vez mais”, orgulha-se o juiz. Na escola houve também o plantio de mudas de ipês amarelos atrás do ponto de ônibus.

O juiz aproveitou para falar sobre planos futuros. “Tenho vontade de trazer um projeto que existe no sul onde, através de uma assinatura mensal, uma empresa fornece um pequeno balde para o armazenamento do lixo orgânico que é recolhido pela empresa. Em troca, o cliente recebe mensalmente uma muda ou mesmo o adubo gerado daquele material. Gostaria de fazer esse trabalho com jovens adolescentes infratores”, explica ele.

O projeto das pedaladas

O projeto é de 2012 e surgiu primeiramente nos presídios de Santa Rita do Sapucaí, interior de Minas Gerais, onde o juiz trabalhava com execução de pena, como em Poços começou a trabalhar com a Vara de Infância e, o juiz adaptou o projeto, retirando o caráter punitivo e aplicando o pedagógico. “As pedaladas continuam as mesmas, o que foi mudado foi o foco”, fala Mallmann.

No projeto direcionado as crianças a grande dificuldade era atrair essas crianças de uma forma natural. “Se houvesse um caráter obrigatório isso afastaria ainda mais as crianças, elas precisam de motivação, nos presídios, a liberdade era o a motivação de que eles precisavam”, confessa o juiz.

Para o juiz há três fatores que ajudam no resultado positivo do projeto. “Precisamos de um diretor motivado, um ponto de ônibus próximo à escola e que a logística não seja cara”, elenca ele. O projeto conta com o apoio do Departamento Municipal de Eletricidade- DME que faz a instalação da energia nos pontos. O juiz comenta que há planos para a instalação em mais duas escolas do município.

  Autor:   Bruna Santine


  Mais notícias da seção Educação Ambiental no caderno Educação Ambiental
11/04/2017 - Educação Ambiental - Programa Municipal quer integrar ações de educação ambiental
Encontro reuniu pessoas e organizações que já realizam trabalhos na área de educação ambiental no município...
20/03/2017 - Educação Ambiental - Associação Recriando
Associação procura conscientizar a sociedade sobre educação ambiental...
22/03/2017 - Educação Ambiental - 22 de março, um dia para refletir sobre nossa água em Poços!
Qual o valor da água, como começou e qual a situação da água em nossa cidade?...



Capa |  Informações Gerais  |  Coleta Seletiva  |  Educação Ambiental  |  Entretenimentos  |  Escolas  |  Espiritualidade  |  Meio Ambiente  |  Mudanças Climáticas  |  Parceiros  |  Política social
Busca em

  
50 Notícias